Casais que tiveram bebês trocados em hospital decidem morar juntos até que saia resultado de DNA

Famílias tiveram bebês trocados após parto no Hospital de Urgências de Trindade em Goiás.

Esse caso está mexendo com o emocional e o ânimo dos pais que suspeitam que seus filhos recém-nascidos foram trocados no hospital de Trindade decidem que iram morar juntos até que o teste de DNA seja divulgado e irá determinar quem são os pais da criança; o material para o teste foi recolhido nesta última segunda-feira, dia 29 de julho.

A suspeita que o bebê poderia ser trocado, foi de um dos pais que começaram a desconfiar por serem morenos e o seu bebê ser branco dos olhos azuis. Os dois nasceram no dia 9 de julho, no Hospital de Urgências de Trindade.

O casal então decidiu fazer o teste de DNA que comprovou que nenhum dos dois eram os pais biológicos do bebê; enquanto isso outro casal que tiveram um filho no mesmo dia, entraram em contato com o hospital com a mesma suspeita de semelhança, tudo isso aconteceu com os bebês estando a 20 dias de nascidos.

O teste agora vai ser feito com o DNA das duas famílias, o hospital confirmou a troca das crianças e afirmou que afastou os profissionais que trabalharam no dia e estão apurando o caso.

O casal que mora em Santa Bárbara de Goiás, Murillo e Aline irá morar nos próximos dias com Genésio e Paulina que moram em Trindade.“A troca é o que eles [Polícia Civil] queriam, mas a gente não. A gente combinou que eu vou ficar na casa do Genésio até sair o resultado do DNA. É a melhor forma de as mães não sofrerem tanto. Agora vamos ter que conviver juntos para sempre, virou uma família enorme. Tive um filho e agora tenho dois”, revelou Murillo, pai de uma das crianças.

Os policiais aconselharam o casal a não trocarem os bebês até sair o resultado, enquanto isso o caso está sendo investigado como crime culposo por não identificarem a gestante e a criança.

Murillo, um dos pais, afirmou que eles agora formam uma grande família, e terão sempre que conviver juntos, “tive um filho e agora tenho dois”, concluiu o pai de um dos bebês.

“É muito desgastante. Psicológico, emocional abalado. É muito doído, muito constrangedor . O erro começou no Hutrin. O que fiquei sabendo foi através das pulseirinhas e as pessoas que estavam cuidando dos bebês e não quiseram reparar o erro no mesmo momento, mas não deram valor nos seres que estavam ali” desabafou.

Escrito por Redatora Rn

Escritora desde 2012, antenada nas redes sociais, por dentro das novidades. Sempre estudando e buscando o melhor para transmitir nas mídias.

Casais que tiveram bebês trocados em hospital decidem morar juntos até que saia resultado de DNA

Famílias tiveram bebês trocados após parto no Hospital de Urgências de Trindade em Goiás.

Esse caso está mexendo com o emocional e o ânimo dos pais que suspeitam que seus filhos recém-nascidos foram trocados no hospital de Trindade decidem que iram morar juntos até que o teste de DNA seja divulgado e irá determinar quem são os pais da criança; o material para o teste foi recolhido nesta última segunda-feira, dia 29 de julho.

A suspeita que o bebê poderia ser trocado, foi de um dos pais que começaram a desconfiar por serem morenos e o seu bebê ser branco dos olhos azuis. Os dois nasceram no dia 9 de julho, no Hospital de Urgências de Trindade.

O casal então decidiu fazer o teste de DNA que comprovou que nenhum dos dois eram os pais biológicos do bebê; enquanto isso outro casal que tiveram um filho no mesmo dia, entraram em contato com o hospital com a mesma suspeita de semelhança, tudo isso aconteceu com os bebês estando a 20 dias de nascidos.

O teste agora vai ser feito com o DNA das duas famílias, o hospital confirmou a troca das crianças e afirmou que afastou os profissionais que trabalharam no dia e estão apurando o caso.

O casal que mora em Santa Bárbara de Goiás, Murillo e Aline irá morar nos próximos dias com Genésio e Paulina que moram em Trindade.“A troca é o que eles [Polícia Civil] queriam, mas a gente não. A gente combinou que eu vou ficar na casa do Genésio até sair o resultado do DNA. É a melhor forma de as mães não sofrerem tanto. Agora vamos ter que conviver juntos para sempre, virou uma família enorme. Tive um filho e agora tenho dois”, revelou Murillo, pai de uma das crianças.

 

Os policiais aconselharam o casal a não trocarem os bebês até sair o resultado, enquanto isso o caso está sendo investigado como crime culposo por não identificarem a gestante e a criança.

Murillo, um dos pais, afirmou que eles agora formam uma grande família, e terão sempre que conviver juntos, “tive um filho e agora tenho dois”, concluiu o pai de um dos bebês.

“É muito desgastante. Psicológico, emocional abalado. É muito doído, muito constrangedor . O erro começou no Hutrin. O que fiquei sabendo foi através das pulseirinhas e as pessoas que estavam cuidando dos bebês e não quiseram reparar o erro no mesmo momento, mas não deram valor nos seres que estavam ali” desabafou.

Fonte: G1

Escrito por Redatora Rn

Escritora desde 2012, antenada nas redes sociais, por dentro das novidades. Sempre estudando e buscando o melhor para transmitir nas mídias.